• Tirinhas
  • Personagens
  • Livros
  • Curiosidades
  • Na mídia
  • Autora
  • Lojinha
  • Contato
  • English

Mensagem subliminar

o que realmente acontece quando estou assistindo à TV e de repente aparece uma propaganda subliminar 

"Estava aqui assistindo meu Bom Dia e .Cia quando me deu uma súbita vontade de comprar Jequili" - disse ninguém na história da humanidade (que é mais ou menos o tempo que o nosso querido Silvio Santos está vivo, colocando em prática suas estratégias de divulgação um tanto quanto... exóticas).



A melhor parte do livro

O que realmente acontece sempre que eu chego à melhor parte de um livro

As melhores partes de um livro atraem família assim como fones de ouvido atraem desconhecidos querendo conversar no ônibus. Mas não estou reclamando. Às vezes, quando você presta atenção nos detalhes, a história deles consegue ser tão interessante quanto qualquer uma de ficção. E tem uns doidões que aparecem de vez em quando que, olha, dão de dez à zero em uns livros de surrealismo fantástico por aí.


Problemas para dormir


Meu cérebro prepara a armadilha de travesseiros e lençóis e vem atraindo meu sono devagarzinho, só para quando o bichinho finalmente se aproximar o safado começar a sussurrar na sua orelha cenários em que todos os meus entes queridos morreram.
Meu cérebro é um babaca.


Mães e vitrines

O que eu realmente enxergo quando minha mãe é inevitavelmente atraída por vitrines

Digamos que minha mãe precisa percorrer um trajeto de A para B, e entre os dois há uma vitrine. Por influência das forças vitrinemagnéticas, sua trajetória se torna uma curva, e ela demora mais tempo que levaria em uma trajetória reta. Agora substituam minha mãe pela luz, a vitrine por um corpo estelar de grande massa como o Sol e as forças vitrinemagnéticas pela gravidade. Voilà, vocês acabam de aprender sobre o desvio da trajetória da luz devido à distorção no espaço-tempo causado pela gravidade, um ponto importante nos estudos de Einstein e sua relatividade geral. Podem se gabar pros coleguinhas nas próximas rodas de conversa. De nada. (Uau, fiz uma metáfora sem usar bolinhos, hahahahah.)



Sorteios

Com o que eu realmetne fantasio sempre que participo de um sorteio ou concurso

Já perdi a conta de quantas vezes as pessoas me perguntaram "quais são os seus planos para o futuro" e eu me segurei pra não responder "bom, ano que vem eu pretendo ganhar na loteria".



Sorteio encerrado!

Parabéns aos ganhadores!


Aspirador de pó

O que realmente acontece toda vez que eu me sinto produtiva, ou O ataque do incansável aspirador de pó

Eu mexo o mouse um pouquinho, ela mexe o aspirador um pouquinho. Eu paro, ela para. Ficamos igualzinho àquela cena clássica do Quico com a bola e o Seu Madruga com o martelo.


Batom perfeito

O que realmente acontece toda vez que eu passo o batom perfeito na maquiagem

Em todos os 13,8 bilhões de anos do universo, com todas as suas supernovas e buracos negros, nenhuma força se mostrou mais poderosa que a de atração entre gloss labial e o meu cabelo.




Rio de Janeiro, só pra lembrar que é esse sábado o próximo evento comigo! Pra quem quiser conquistar o seu Como eu realmente: vol.1 autografado ou só vir trocar uma ideia, vou participar do 9º Evento Literário A Menina que Comprava Livros, que vai rolar no dia 10 de janeiro, sábado, às 14h, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon. Todas as informações estão aqui. Vai ser um prazer reencontrar vocês, queridos! ❤️​


Juízes da vida alheia


Resolvi fazer essa tirinha após conversar com alguns amigos que confessaram evitar reuniões com alguns parentes/amigos por se sentirem mal com as cobranças deles ("você engordou, ein!", "e o trabalho, tá naquele ganhando pouco ainda?", "e o namoradinho, quando vai arranjar?"). Por mais que estejamos felizes com nós mesmos, sempre sentimos uma pontinha de insegurança e mal-estar quando temos nossas escolhas de vida e aparência questionadas. E o pior é que, na maioria dos casos, é socialmente complicado revidar ou demonstrar nosso desconforto com essas cobranças. Às vezes é uma tia que você não quer ferir os sentimentos, ou um amigo que você nem tem intimidade mais. Então taí a tirinha: um desabafo coletivo e anônimo de todos nós. Está aberta a temporada de indiretas, galera! Façam bom proveito.