• Tirinhas
  • Personagens
  • Livros
  • Curiosidades
  • Na mídia
  • Autora
  • Lojinha
  • Contato
  • English

Jogos de tabuleiro

 

Sim, a criança sem-vergonha trapaceando descaradamente era personagem obrigatória em qualquer grupo de brincadeira. Não sei o que se passava na cabecinha comedora de Danoninho dela. Como se ganhar em um jogo bobo fosse torná-la uma mini entidade divina entre as coleguinhas mortais. Se bem que... Isso não é o que os próprios adultos vivem tentando fazer na vida - provar seu valor perante os outros das formas mais irracionais possíveis? Usando os motivos mais fúteis, as justificativas mais materiais? Hummm. Talvez todos devêssemos dar uma paradinha agora para reler o manual.


18 comentários :

  1. Genial Nia!!! Muito bom mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Hoje em dia tem uns jogos muito legais onde você e os seus amigos jogam junto contra o tabuleiro (que sempre joga no hard), daí se vocês trapacearem o jogo perde a graça, que está em vencer ou perder junto dos seus amigos. (Acho que na vida real também deveria ser assim, é muito melhor quando todos se unem para vencer um jogo dificílimo, fica muito mais divertido e recompensador ao invés de todos se atropelarem para vencer cada um por si)

    ResponderExcluir
  3. É, os tempos mudam, a gente cresce, mas no fundo, ainda somos como aquelas crianças que necessitam provar sua superioridade frente ao coleguinha.


    E ai que momento nostálgico, eu sempre jogava isso ai em dias chuvosos e quando ia pra praia.

    ResponderExcluir
  4. ...e você acaba de descrever, basicamente, As Duas Visões De Mundo Que Existem. (Spoiler: eu escolhi a mesma que você.)

    ResponderExcluir
  5. Mas exclui Levíticos, please.

    ResponderExcluir
  6. Eu descobri esse ano que sempre joguei o jogo da vida errado... pior, do jeito certo não tem a menor graça...

    ResponderExcluir
  7. Adorei e concordo integralmente com o comentário ao final da tirinha!

    ResponderExcluir
  8. Não sabia que os dois personagens eram amigos de infância.

    ResponderExcluir
  9. Não precisa excluir. Basta entender que a Lei traz condenação, mas Cristo a justificação. O antigo testamento prova a incapacidade do homem em alcançar Deus. O novo testamento traz a solução =)

    ResponderExcluir
  10. Fora aquele primo que era novo demais pra saber roubar - se é que entendia as regras - e depois que descobria que tinha perdido começava aquele choro constrangedor.
    Aliás, é outra coisa que tem adulto que faz até hoje. hehehe

    ResponderExcluir
  11. Nia, eis uma charada, Quem ama Harry Potter é Potterhead, ser semideus is not bad, é difícil de acertar, é como fazer flã, como se chamam os teus fãs?

    ResponderExcluir
  12. Pior só quando o povo insiste em inventar regra nova!

    ResponderExcluir
  13. Muito legal. Estou espalhando suas tirinhas aos quatro cantos do mundo :D Te adoro.

    ResponderExcluir
  14. Na tirinha "Princesas da Disney" eu respondi um comentário da Fernanda Nia, deixando um texto interessante sobre o papel do príncipe de antigamente, explicando porque eles eram sempre "certinhos" e como isso estaria associado ao idealismo feminino a respeito dos homens. Falei também sobre a importância de humanizar os personagens ressaltando seus defeitos para os telespectadores passarem a se identificar mais com eles. É muito mais bonito quando um príncipe arrogante e convencido começa a mudar gradualmente suas atitudes à medida que gostar da mocinha para tentar reconquistá-la.

    ResponderExcluir
  15. Você comentou no Twitter que ainda hoje não sabe como funciona a hipoteca no Banco Imobiliário. Funciona assim: você entrega a propriedade ao banco e recebe o valor de hipoteca, que é 50% do valor de compra. Você não pode cobrar aluguel de uma propriedade hipotecada. Você só pode hipotecar uma propriedade sem casas ou hotéis. Para hipotecar uma propriedade com casas e hotéis, você deve vender as casas/hotéis para o banco pela metade do preço em TODAS AS PROPRIEDADES DA MESMA COR. Ou seja, se você tiver duas propriedades vermelhas, as duas com uma casa cada, e quiser hipotecar uma, você deve vender as casas EM AMBAS PROPRIEDADES de volta ao banco antes de poder hipotecar uma delas. Mesmo hipotecada a propriedade ainda te pertence e nenhum jogador ou banco pode tirá-la de você (ao contrário da vida real, não há data limite pra hipoteca). No entanto, se você quiser, pode trocar ou vender a propriedade hipotecada para outro jogador. Para desipotecar uma propriedade, você deve pagar a taxa de hipoteca com 10% de juros. Se você ganhar uma propriedade hipotecada através de compra ou troca você obrigatoriamente deve pagar a taxa de 10% ao banco, mesmo que não queira desipotecar a propriedade, a menos que pague a dívida.


    Em resumo: é melhor ignorar mesmo a hipoteca. É a parte mais complicada do jogo.

    ResponderExcluir
  16. Eu cresci a maior parte da infância sozinha e meu maior trauma era não poder jogar esses jogos de tabuleiro com mais alguém. Mas pelo menos eu podia jogar pelos outros (meus amigos imaginários)

    ResponderExcluir