• Tirinhas
  • Personagens
  • Livros
  • Curiosidades
  • Na mídia
  • Autora
  • Lojinha
  • Contato
  • English

Paranoia materna

O que realmente acontece sempre que eu faço qualquer movimento minimamente diferente na presença da minha mãe

Acredito que existe uma parcela grande da Deep Web dominada por mães discutindo teorias da conspiração obscuras sobre o porquê do filho ter piscado duas vezes mais que o normal durante o almoço de domingo.


O Como eu realmente: vol. 2 está vindo aí! Você já leu o 1? Saiba onde comprá-lo:
Compre o Como eu realmente: vol.1 no Submarino Compre o Como eu realmente: vol.1 na Saraiva Compre o Como eu realmente: vol.1 na Amazon Compre o Como eu realmente: vol.1 na Americanas
Compre o Como eu realmente: vol.1 na Livraria da Travessa Compre o Como eu realmente: vol.1 no Shoptime Compre o Como eu realmente: vol.1 na Livraria Cultura Compre o Como eu realmente: vol.1 na Fnac


13 comentários :

  1. hahahaha é bem isso..

    ResponderExcluir
  2. Não pego nem gripe , mas é acontecer alguma coisa que já é comentários sobre ir ao hospital ... e olha que não sou muleke mais ...

    ResponderExcluir
  3. A culpa é sempre da luz do computador!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu lembro de na infância ficar disfarçando que estava doente, fingindo que tava tudo ótimo pra minha mãe não me levar pro hospital me dando bronca por todos os comportamentos errados que com certeza me fizeram ficar doente.
    Eu ficava imaginando "aiai, mães normais fariam um chazinho e me falariam pra deitar um pouquinho e pronto". Pelo jeito mães normais não existem hahahahahaha

    ResponderExcluir
  5. No meu caso teria de trocar a mãe pela minha mulher.

    "O que significa essa cara? Você tá bravo comigo? Chateado? Emburrado? Nervoso? Estressado? Fala comigo! Não me deixa no escuro. É um sorriso irônico? O que eu fiz? Depois você acha ruim que eu tiro minhas conclusões sem falar nada! Fala comigo!"

    "Tava lembrando de uma tirinha que eu li ontem..."

    ResponderExcluir
  6. Siiimmm! Outro dia saí pro jardim interno e a mãe perguntou. - "O que foi?" Eu disse: Precisa ser alguma coisa? Ela respondeu: Eu estranhei, você nunca vai lá? (E eu vou duas vezes por semana colocar o lixo orgânico no lixeirão que tem lá). Me estressa ter que narrar cada passo nessa vida! Ai ai... Nóia total!

    ResponderExcluir
  7. Mesma coisa quando a gente resolve sair e elas começam a profetizar as maiores desgraças que podem acontecer conosco fora de casa. As vezes penso se isso não são maldições ahaha.

    ResponderExcluir
  8. Quantos indivíduos começaram a se coçar ao ler esta tira?

    ResponderExcluir
  9. Pai também tem paranoia mais ou menos assim, mas as nossas tendem a ser mais violentas. Eu ficaria muito mais tranquilo se minhas paranoias fossem mãe-style.

    ResponderExcluir
  10. O quanto um objeto é responsável pelos males do mundo é diretamente proporcional a quão tecnológico ele é e a quão divertido ele é.

    ResponderExcluir
  11. Não querendo ser chata, nem bancar a professora de português mas já sendo...
    Niazinha amore mio, aquele demartologista ai doeu! É dermato =p

    ResponderExcluir
  12. não seria "dermatologista"? hehe

    ResponderExcluir