• Tirinhas
  • Personagens
  • Livros
  • Curiosidades
  • Na mídia
  • Autora
  • Contato
  • English

Silêncio desconfortável


E se eu me aventuro a falar algo, acaba saindo a célebre frase dessa tirinha. Por isso gosto tanto das maravilhas da comunicação digital escrita dessa nossa internet, que nos permite pensar com calma palavra por palavra que vamos dizer. Podemos averiguar as informações, organizar as ideias e produzir um comentário final lógico e sensato sobre o assunto, impressionando nossos interlocutores e até enriquecendo a teia de conhecimento coletivo da sociedade como um todo. Agora, como tem gente que consegue jogar essa oportunidade linda no lixo pra produzir o mesmo comentário invariável de "a culpa é do PT" independente do assunto, eu sinceramente não sei explicar.

Obs.: Também conversamos sobre silêncio desconfortável e intimidade nesse tweet. Já seguem o @ComoEuRealmente?




17 comentários :

  1. Comigo acontece isso aí quando quero chegar numa menina que estou interessado.

    Não faço a mínima ideia de como as pessoas normais fazem isso. Meu cérebro veio desajustado da fábrica, pensa demais e não age.

    ResponderExcluir
  2. Engraçado, eu era exatamente assim. Exatamente. Aí eu fui ficando cada vez mais anti-social (é maravilhoso, sério) e agora não me importo mais com a imagem que passo para as pessoas - então eu sou agora uma Mestre em puxar assunto e quebrar silêncios. Mas meu talento é desperdiçado porque, né, não me importo com pessoas. Hahahahahaha, vai entender.

    ResponderExcluir
  3. Não se preocupe, seus feromônios dão conta do recado.

    ResponderExcluir
  4. Joao Edmilson Forte8 de junho de 2014 22:15

    Nossa, tá precisando sair de casa D:

    ResponderExcluir
  5. Hahahahaha, eu saio e, de alguma forma, sou sempre a que conversa com mais pessoas. Nós, antissociais, somos muito mal compreendidos.

    ResponderExcluir
  6. Nessas horas a pessoa beija a outra. menos eu, por que a cabeça resolve te colocar numa tela de seleção de ações como nos games, com a diferença que o tempo na para.

    ResponderExcluir
  7. Isso não me parece muito antissocial. Parece ser mais introvertido. E pela minha experiência própria, ser antissocial não é exatamente agradável.

    ResponderExcluir
  8. Pedro Garcez E Silva9 de junho de 2014 09:32

    Fala que gosta de batata. Ou de pizza. Todos gostam de batata e de pizza.

    ResponderExcluir
  9. Sempre começo uma conversa perguntando se a pessoa gosta de batata, as vezes eu vou dizer algo e já falam: "Nem vem com a batata". Hahaha.

    ResponderExcluir
  10. As pessoas quando me conhecem me acham muito anti-social e deixam de falar comigo, muitas das vezes. Quando comecei a estudar o ensino médio não falava com ninguém, depois de um tempo eu já estava falando com todo mundo e sempre com um assusto novo. O problema é que tem horas que me desligo desse mundo agitado e vou para um mundo mágico com rainhas, espíritos e guerreiros, e as pessoas acham que está acontecendo um silêncio constrangedor.

    ResponderExcluir
  11. Ainda lembro até hoje do comentário que li sobre o avião da Malásia que havia desaparecido e que a Austrália estava fazendo uma varredura pelo Oceano índico procurando o dito cujo, no comentário estava escrito o seguinte:
    "É culpa do PT, se fosse um avião particular do governo já teriam achado."


    Sobre quebrar o gelo:Depende com quem estamos falando, é muito difícil (principalmente para mim e minha introversão), principalmente com alguém que estamos á fim ou com qualquer mulher (seja amiga ou não). Já com amigos, rola todo o tipo de comentário.

    ResponderExcluir
  12. Ts tsc tsc... Guria, tem horas em que a ultima coisa a se fazer é falar. Quebra o clima, saca... Olhe nos olhos, pisque, sorria e respire fundo. Se td der certo, blz. Se o cara não entendeu a deixa ou tá na mesma situação que vc (É, Eu tou falando com VOCÊ, muleque mais perdido que girafa em casa de vampiro que não tem a menor ideia de como sair do zero a zero. Me agradeça depois ¬¬), tome a iniciativa e invada o espaço pessoal dele (ui! Mas já?). Comece mexendo no cabelo, de um passo pra ficar mais perto, deslize a mão pro rosto, sempre sorrindo, olhando nos olhos e deixando bem clara sua intenção. No momento em que ele/a (Ainda não ficou claro que é um guia unisex? ¬¬) fechar os olhos, é o momento. Entretanto, se sua "vítima" estiver tão apavorada que não conseguir parar de te encarar como se tivesse visto um fantasma, puxe o freio de mão e dê só um beijinho no rosto, meio no canto da boca, sem esquecer de respirar perto da orelha. Conte uma historinha rápida e boba qualquer (E você achando que tirinhas de internet só serviam pra matar o tempo. Ha!) pra aliviar clima e repita o processo. Uma hora funciona... Agora ponham em prática este conhecimento, vocês tem um dia pra fazer isso! Deixa pra me agradecer depois, agora vão o/a garoto/a bonitinho/a não vão se conquistar sozinhos!

    ResponderExcluir
  13. Joao Edmilson Forte11 de junho de 2014 20:07

    Eu simplesmente não sei criar um assunto. :(

    ResponderExcluir
  14. Antes de namorar e ter intimidade com a pessoa, nessa horas eu puxava um assunto sobre "como é ruim não conseguir assunto por estar nervosa" Até que acabava em resultados fofinhos como "é assim mesmo quando estamos do lado de quem a gente gosta" ueheuheuehe

    Mas isso acontece até hoje, só que agora com amizades. Dai sempre caio na tirinha que você postou na descrição. Ou até pior: tento mostrar "toda minha vastidão cultural" só que falando tudo errado, e as pessoa conhecem o assunto e percebem isso ):

    ResponderExcluir
  15. Beatriz Martins Araujo17 de junho de 2014 21:51

    Isso me chateia. Principalmente em começo de ano em uma nova escola, você tenta falar sobre alguma coisa legal mas, não sabe se isso incomoda alguém.



    Também acontece muito disso comigo em chats, é tipo:
    " legal Sr. Fulano está online, vou conversar com ele... Pera, sobre o que eu vou conversar? Religião? Não, isso muito pessoal e polêmico, com certeza irá dar uma treta maligna. Ah, fala sobre aqueles tweets antigos dele... Não, pode pensar que eu ando stalkeando ele. Faça uma piadinha infame (essa arte eu domino!) sobre a série favorita dele, hã, melhor não, ele pode se ofender."



    Talvez seja melhor usar o velho ditado da vovó e não escrever nada, afinal como ela dizia: " Em teclado quieto não entra bug"

    ResponderExcluir