• Tirinhas
  • Personagens
  • Livros
  • Curiosidades
  • Na mídia
  • Autora
  • Lojinha
  • Contato
  • English

Preconceito online


Às vezes, quando vejo alguém sendo machista, racista ou homofóbico na timeline, tento conversar. Na maioria dos casos, porém, não são pessoas que querem ouvir. Me sinto dividida nessa hora: deixar de seguir a pessoa e suas publicações preconceituosas vai ser bom para a minha saúde mental, mas não dialogar para tentar torná-la mais empática faz eu me sentir cúmplice por deixar que continue disseminando seu discurso de ódio. De qualquer jeito, a cada publicação do Como eu realmente que crio para discutir algum preconceito, estou sempre secretamente desejando muito que a indireta chegue até essas pessoas.

15 comentários :

  1. AINDA BEM que todo mundo na minha timeline é liberal, ninguém é machista, ninguém é homofóbico, não reclamam da cor de ninguém, do peso, da religião, essa gente linda que só quer o melhor do país, minha timeline é um amor hahahaha ♥.

    ResponderExcluir
  2. Unfollow - "que opinião idiota, mas vamos lá, fica aí quietinho"
    Unfriend - "gente, que horror, decepção extrema, sai da minha rede"
    Block - "não..........exista"

    ResponderExcluir
  3. Quando começaram a mudar os avatares no facebook pra colorido a minha descoberta mais feliz do dia foi não ver ninguém na timeline reclamando e sendo homofóbico! Ao contrário dos dias pós-eleição que teve limpeza na lista (e não por posição política, mas por comentários racistas e machistas...)

    ResponderExcluir
  4. Já tentei argumentar, mas as postagens ficaram piores. E era do tipo que dizia "Não tenho preconceito, mas...", argumentei novamente e não deu certo. Aí a paciência acabou e eu exclui.

    ResponderExcluir
  5. Eu acho que a gente tem que perceber se o momento é bom para confrontar. Quer dizer, o bom mesmo seria dialogar sempre, mas nem sempre as outras pessoas estão dispostas a ouvir e a gente só se cansa e passa raiva. Quando acontece na internet, eu nem tento. Pessoalmente, eu me sinto mais esperançoso em dialogar com paciência e fazer a pessoa entender o problema.

    ResponderExcluir
  6. Esse sou eu quando rola algo do tipo, mas hoje em dia estou em love com meus amigos.

    ResponderExcluir
  7. Na maioria dos casos não bloqueio as pessoas, só paro de seguir elas mesmo. pq assim não preciso desfazer a amizade.

    ResponderExcluir
  8. Geralmente quem faz esse tipo de pergunta não consegue enxergar o próprio discurso de ódio. Pra respondê-la é bem fácil, basta ver se esse discurso é/foi usado como argumento para justificar a discriminação/ódio. Por exemplo, achar que não é um discurso de ódio "tudo bem ser gay, tenho até amigos gays, mas não quero um na minha família" faz com que muitos homossexuais sofram (seja psicologicamente, fisicamente, financeiramente, etc.) pois, ao assumirem sua sexualidade, perdem a relação que tem com a família (ou seja, são discriminados).

    ResponderExcluir
  9. O pior é quando essa pessoa é seu parente ou amigo próximo. É mais vantajoso ficar calado do que tentar debater.

    ResponderExcluir
  10. Sim, esse exemplo concordo que esse é um discurso perigoso. Mas é bem diferente de: "Eu tenho minhas próprias crenças e convicções. Vou entender e aceitar qualquer um que não as tenha iguais as minhas. Mas também quero respeito com minha liberdade de pensamento."
    O que acontece é que hoje qualquer um que pense diferente é visto como perturbador da ordem e da paz. Mas as vezes ele só vê a vida diferente. Nem todos são iguais.

    ResponderExcluir
  11. Fiz exatamente isso e me arrependi, mas hoje não há como não polarizar. Todo dia aparece algum problema vocês já repararam?
    Há gente como eu que suspeita que isso não seja simplesmente pessoas idiotas manifestando seu ódio e sim gente maniqueísta agindo sob lideranças mais vis ainda em prol de um propósito que seria como nos por em completo conflito. Eu duro mas eu entendo que as pessoas possam achar isso absurdo pois foge a lógica do nosso bom senso, mas depois de analisar algumas pistas tanto eu como você podemos constatar que é verídico. Fiquem de olho.

    ResponderExcluir
  12. Justamente. Hoje falar desse assunto é pisar em ovos. MInha amiga ficou muito incerta quanto a questão da propaganda de perfume e ficou tão receosa de opinar que teve que mudar a postagem temendo a ira dos demais por conta de sua oposição a campanha. Frutos da "nova homofobia".

    ResponderExcluir
  13. Odeio excluir/dar unfollow pelo meu medo de estar sendo tão intoletarante quanto a pessoa, além do medo de eu começar me cercar apenas de pessoas que pensam igual a mim e acabar me tornando uma pessoa limitada.

    Mas olha, tem hora que não dá... Quando teve aquela comemoração com as fotos pró-LGBT comemorando o casamento homossexual no EUA eu li muito absurdo. Inclusive li absurdos vindo de gente que 1 mês atrás estava deixando "homenagem" no mural de um amigo gay que havia suicidado. Me bateu um sentimento de revolta *momento desabafo* ):

    ResponderExcluir
  14. Você tocou em um ponto importante: quem provoca essa cadeia de pessimismo na gente. Primeiramente, eu acredito que a fonte desse ódio generalizado parte de lideranças sim, mas não que as pessoas tenham sido comandadas diretamente a tomar essa postura, como se tivessem sido ordenadas ou algo assim. Acredito que isso é o que grande parte da mídia têm semeado durante anos: programas e noticiários divulgando constantemente notícias desagradáveis. Consequentemente, as pessoas começaram a acreditar que só acontece desgraça, que o ser humano é terrível, elas perdem a confiança e ficam mais desesperadas; mais fracas, mais fáceis de serem persuadidas e mais difíceis de lutarem contra as injustiças. Pra mim, tudo isso não passa de uma estratégia suja. Minha vó já teve depressão de tanto ver coisa ruim na televisão.

    ResponderExcluir
  15. Puxa lamento amigo pela sua avó e dou razão, e digo com tristeza que tem mais: isso também é parte do "plano" em si. É terrível e hoje cair numa armadilha está mais fácil do que dar um passo. Sempre que uma polêmica aparece, já fico desconfiado e não me precipito pois, apesar da tensão pelo cenário estar assim, temos em contrapartida alguma pessoa revelando o embuste da situação, o porém é que sua voz alcança poucos..

    ResponderExcluir