• Tirinhas
  • Personagens
  • Livros
  • Curiosidades
  • Na mídia
  • Autora
  • Contato
  • English

Vestidos e escadas


Esse vestido da Niazinha (que desenhei inspirada na imperatriz Sissi) me lembrou aquela lição de história sobre o Tratado de Panos e Vinhos, onde a Inglaterra se comprometia a consumir os vinhos de Portugal e este, por sua vez, consumia os tecidos da Inglaterra. Observando a quantidade de pano nessa roupa da Niazinha, que apesar de ser quase um século e meio mais recente e austríaco ainda reflete o excesso antigo, fiquei com uma impressão bem clara de que, ao assinar esse tratado, Portugal, bom, se ferrou pra caramba. Aí descobri algo interessante. Nos artigos em português, como este e este, e como eu mesma aprendi na escola, é de senso comum que o acordo foi pior para Portugal (além de tecidos serem muito mais essenciais para a população que vinhos, importá-los e não produzi-los foi um desestímulo para a industrialização portuguesa). Já nos artigos em inglês, porém, eles defendem que foi suuuper benéfico, e que foi graças a esse tratado que "Portugal manteve uma posição política forte que se mostrou fundamental para manter a integridade territorial da sua colônia mais importante, o Brasil". Quem está certo?

Isso me faz pensar em todas as outras coisas que nos ensinam nas escolas que podem ser igualmente tendenciosas, talvez até erradas, e eu nunca vou saber.




Gente querida, vocês já devem saber que o Facebook muito zoeiro gosta de esconder algumas postagens das suas páginas favoritas. Se você segue o Como eu realmente e não quer correr o risco de perder as tirinhas novas, escolha receber notificações da nossa página (é só ir nela, passar o mouse sobre o botão "Curtiu" e marcar "Receber Notificações") ou nos acompanhe pelas nossas outras redes sociais também.

Você pode seguir o Twitter do Como eu realmente;
Seguir meu perfil pessoal no Facebook (também compartilho os posts do CER lá);
Seguir o Como eu realmente por e-mail se inscrevendo na barra lateral ->
Ou participar deste site pelo Google Friend Connect na barra lateral também -> 


28 comentários :

  1. A tirinha é muito real! Lembro até hoje da primeira vez que coloquei uma saia longa rodada na vida. Era só alguém sair de perto que eu girava igual um pião. Deviam vender saias longas na seção de brinquedos!


    E o comentário, nossa, perfeito. É triste nunca saber em que lado da história acreditar, por isso já estou criando o costume de duvidar parcialmente de tudo que não me parecer completamente lógico. =)

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu acredito mais nos ingleses, porque no pós-republica nosso povo desenvolveu o hábito de desfazer da nossa origem portuguesa e monarca (tanto que nas nossas piadas o português é o burro e nossos museus e casas historicas não recebem os investimentos necessários para manter o nosso valor histórico). Nossos livros de história também refletem muito isso, além de grande parte do conteúdo ter sido modificada na época da ditadura, então sei lá. Confio mais nos ingleses.

    ResponderExcluir
  3. SIIIISSSIIII <3 OMG, alguém também é apaixonada nela nesse mundo de hoje ç__ç

    ResponderExcluir
  4. Sobre o comentário: Na verdade as duas análises estão corretas até certo ponto. Dentro da academia se tem como ideia sobre esse caso de que, apesar do tratado ser bem ruim economicamente para Portugal, eles precisavam fazer o tratado pelas questões políticas, muitas vezes mais importantes que as econômicas. Esse tipo de acordo acontece bastante até hoje, principalmente no que envolve vários países da África.

    ResponderExcluir
  5. Você é fluente em inglês, Fernanda Nia?

    ResponderExcluir
  6. Como fez para ficar fluente?

    ResponderExcluir
  7. Fiz curso de inglês quando era criança, mas o que fez a diferença foi desde cedo (uns 11-12 anos) ler livros e jogar jogos em inglês na marra até entender.

    ResponderExcluir
  8. Estou te perguntando isso porque havia um postagem que você dizia ter um pouco de dificuldade para entender alguns assuntos no inglês. Se não me engano, aquele que falava das novas tecnologias relacionadas ao celular.

    ResponderExcluir
  9. Ih, Felipe, não tô lembrada. Será que era qual eu disse que tinha dificuldade pra traduzir algumas palavras pq elas não tinham tradução específica?

    ResponderExcluir
  10. Você sabe falar e entender o que os nativos dizem sem esforço algum?

    ResponderExcluir
  11. De modo geral sim. Algumas pessoas são mais difíceis de entender quando falam muito rápido e tem voz pouco clara (homens com voz grossa são mais difíceis) (eu já fiz um estudo sobre isso em um curso), mas de modo geral é tranks.

    ResponderExcluir
  12. Como você conseguiu melhorar isso ?

    ResponderExcluir
  13. Como eu disse. Lendo muito e jogando em inglês. MAS o que me ajudou muito na parte de audição/pronúncia é que todos os filmes ou seriados que vejo é sempre em inglês e com legenda em inglês também. Te ajuda a associar os sons às palavras e a entender melhor.

    ResponderExcluir
  14. Você nunca assistiu um filme dublado ou com legenda em português?

    ResponderExcluir
  15. Assim sim, até porque cinema é só assim. Mas sempre que tenho a oportunidade, vejo com legenda em inglês. Mas nada contra tradução ou dublagem.

    ResponderExcluir
  16. Os nativos falam muito rápido, difícil acompanhar o que eles dizem. Sem falar que você precisa primeiro aprender a ler os textos em inglês e traduzi-los para o português sem se preocupar com a pronuncia, só então que dominar o significado das palavras e da ortografia deles é que será possível assistir os filmes legendados em inglês e fazer a comparação entre o áudio e a legenda. Assistir o filme pausadamente e só avançar quando entender o som de cada palavra que eles dizem seria um bom treino. Da mesma forma que você começa a ler o texto em inglês pela primeira vez. Tem que saber identificar adjetivos, substantivos e preposições senão perdido, sem falar que adjetivos vem antes dos substantivos.

    ResponderExcluir
  17. Francamente, as pessoas deveriam parar de depender de facebook para acompanhar as coisas. Antes da internet eu corria às bancas toda semana para ver quadrinhos, eu SAÍA DE CASA E ANDAVA QUINZE QUARTEIRÕES para comprar o que eu queria. Hoje tudo vem bonitinho numa página salva no meu computador e eu não posso ter a decência de acessá-lo duas vezes por semana para acompanhar as novidades? Preciso mesmo de Facebook? Acompanho a página lá porque sou fã e quero participar. Mas definitivamente não perco nada das tirinhas porque não é trabalho nenhum vir aqui e acompanhar. Ao contrário, é um prazer e gostaria de parabenizar a Fernanda pelo trabalho incrível. <3

    ResponderExcluir
  18. Ohn, muito obrigada por tanto apoio, Luciana! <3

    ResponderExcluir
  19. Que curso você fez um estudo sobre as vozes?

    ResponderExcluir
  20. Você pratica alguma arte marcial, Fernanda Nia?

    ResponderExcluir
  21. só posso dizer que ficou mto fofaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

    ResponderExcluir
  22. Só por curiosidade você consegue traduzir em português uma pequena parte dessa música? Mesmo que seja apenas uma frase? Só para entender o seu nível de listening.

    https://www.youtube.com/watch?v=SpkvPp4qWsY

    ResponderExcluir
  23. [img]http://ruimcomelas.com.br/wp-content/uploads/2012/07/amor-nao-e-melhor-que-sorvete-ruimcomelas.png[/img]
    [img]http://ruimcomelas.com.br/wp-content/uploads/2012/07/amor-e-dividir-a-ultima-bola-de-sorvete-ruimcomelas.png[/img]

    ResponderExcluir
  24. Niazinha, eu moro em Portugal há 6 anos e fico cho-ca-da com a quantidade de coisas que são "omitidas" aqui ou mudaram o nome. Por exemplo, no tratato de tordesilhas, Portugal nunca invadiu a parte espanhola, o Brasil inteiro já era, de direito de Portugal e também no caso das guerras de independência das colônias são chamadas aqui de Guerra Coloniais e não ensinam que o propósito maior das colônias era independência, na "verdade" era só baderna e por isso Portugal foi bonzinho e liberou a galera. Acho-te uma graça, Portugal, acho-te uma graça.

    ResponderExcluir
  25. me fez lembrar que eu preciso de mais saias longas pra me sentir como no segundo quadrinho mais vezes, hahaha

    ResponderExcluir
  26. quando eu fui descer uma escada com vestido longo... eu pisei na barra, quase rasguei o vestido, quase cai, quase morri e quase quebrava todos os dentes... no dia da minha formatura

    ResponderExcluir